segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A gripe A H1N1

A gripe A H1N1 afecta sobretudo crianças e jovens adultos e provoca, nos casos graves, problemas respiratórios agudos e uma mortalidade elevada, segundo estudos mexicanos e canadianos publicados segunda-feira nos Estados Unidos, que confirmam a vulnerabilidade destes grupos.
Estes estudos vão ser publicados no Jornal of the American Medical Association de 04 de Novembro, mas foram divulgados segunda-feira para coincidir com a sua apresentação na conferência da Sociedade Europeia de Cuidados Intensivos que se realiza esta semana em Viena, na Áustria.
As investigações foram efectuadas durante a primeira fase da infecção pelo vírus, entre 18 de Março e 01 de Junho no México, e entre 16 de Abril e 12 de Agosto no Canadá.
No México, os casos graves de infecção por gripe A H1N1 nos jovens doentes estiveram todos ligados à síndroma de aflição respiratória aguda (SDRA), seguida de um estado de choque que provocou uma taxa de mortalidade de 40%.
Segundo o estudo, entre os 899 pacientes admitidos em seis hospitais mexicanos devido à gripe A H1N1, 58 estavam num estado grave.
A idade média - aquela que separa o grupo em duas partes iguais - destes últimos era de 44 anos, precisam os autores.
"A nossa análise dos doentes infectados pelo H1N1 e que se encontram num estado grave mostra que são geralmente jovens", escreveu Guillermo Dominguez-Cherit, principal autor do estudo mexicano.
O seu confrade canadiano, Anand Kumar, do Hospital de St. Boniface de Winnipeg (centro do Canadá), um dos autores do estudo canadiano, chegou às mesmas conclusões.
Segundo ele, os casos graves e a mortalidade devido à gripe A H1N1 concentram-se em adolescentes e adultos mais jovens e relativamente de boa saúde.
No Canadá, de acordo com o estudo, a média de idade dos 168 doentes num estado grave é de 32,3 anos.
Entre eles, 24 (14,3%) morreram nos 28 primeiros dias, e cinco nos primeiros 90, indica o estudo.
A mortalidade total é de 17%. Cinquenta (29,8%) destes doentes tinham menos de 18 anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário