sábado, 21 de julho de 2018

Notícia - O que nunca deve fazer quando está com prisão de ventre


A obstipação é um problema intestinal frequente, sendo mais comum entre as mulheres. A dificuldade em defecar pode surgir pelos mais variados motivos, mas jamais deve ser desvalorizada, especialmente quando se prolonga por vários dias.

A médica gastroenterologista Lee Ann Chen revela que “a obstipação severa não só é muito desconfortável, como pode também bloquear o cólon, o que pode implicar tratamentos mais invasivos do que apenas os laxantes”. E por falar em laxantes, quantos mais se tomar, maior é a probabilidade de agravar a prisão de ventre.

À revista Women’s Health, a especialista uniu-se a outros médicos para revelar tudo aquilo que as pessoas jamais devem fazer quando estão com prisão de ventre e um dos primeiros alertas diz respeito à alimentação. Diz o corpo clínico contactado pela revista que nestas alturas deve-se evitar ao máximo o consumo de alimentos processados, não só pode serem pobres em fibra, mas também por possuírem poucos nutrientes e muita gordura, sal e açúcar.

O consumo de álcool e cafeína é também de evitar, pois não só provocam desidratação, como também inibem a hormona anti-diurética, fazendo com que a dificuldade em defecar dê origem a uma vontade constante em urinar. E quando mais líquidos se perdem, mais agressivos serão os sintomas de prisão de ventre. De acordo com a publicação, o consumo de lacticínios deve ser igualmente enviado, mesmo quando não existe uma intolerância à lactose.

A prática de exercício físico é fundamental e, por isso, as pessoas jamais devem escapar ao treino quando estão com prisão de ventre, uma vez que precisam de uma maior fluidez da corrente sanguínea e um melhor funcionamento do Organismo.

Joann Kwah, professor assistente no Centro Médico de Montefiore, nos Estados Unidos, diz ainda que os suplementos de ferro e cálcio devem ser evitados perante episódios de prisão de ventre, uma vez que podem agravar ainda mais a situação.

Informação retirada daqui

Sem comentários:

Enviar um comentário